A Nova Ordem

Cultista com manto

Katherine Dinger. Cultista com manto. Óleo sobre tela. 2006

Ouçam, discípulos, ele que lhes traz a Palavra. É apenas a luz da verdade e nada mais. Vocês estão aqui porque sentem algum vazio por dentro. Sei como é. Já estive lá e não há nada mais universal que isso. O motivo de todo esse mal-estar está dentro de nós, assim como a chuva faz parte de nuvens escuras. A evolução programou isso na humanidade, e por isso somos condenados a perseguir a felicidade um dia após o outro. Mesmo depois de consegui-la, ela logo vai embora e precisamos de uma nova alegria temporária. A felicidade eterna é uma ilusão. E o que não é? O sofrimento eterno também não existe, meus caros. E quem não quer romper esse círculo e não precisar buscar mais nada para ser feliz? Eu sinto o sofrimento de cada um de vocês, porque ele é universal. O que eu passei é o que vocês passam. Viver é sofrer. Se alguém nunca sofreu, sofrerá. Pois ouçam o que tenho a lhes dizer. Ele que nos trouxe a Palavra, há três milênios, nos alertou: não procurem a felicidade. Procurem a essência real das coisas, veja por trás do véu, e então despertará para entender o que é real. A realidade, uma vez descoberta, vai lhes mostrar: buscar prazer é desperdício de tempo. Viver é desperdício de tempo, assim como a existência de nosso planeta Terra. Pois em poucos anos tudo virará pó e será engolido pelo Grande Negro do Cosmos. É isso que a Palavra significa: não somos nada. Nunca seremos nada. Ouçam! Todos os sonhos do mundo cabem em nós, mas serão aniquilados conosco. Isso não é ruim ou bom, é apenas o que é real. Mas isso vocês já sabem, meus caros, pois a Palavra é conhecida há três milênios. O que fazem vocês aqui, ansiando por saber? Trago-lhes a Palavra do Terceiro Milênio. O velho profeta não sabia sobre a história do Cosmos nem do Planeta Terra. Ele não sabia que a evolução biológica nos programou para sofrer. O animal que fica satisfeito onde está não vive o suficiente para se reproduzir. Somos herdeiros de genes egoístas, condenados à busca incessante por novos prazeres. Querem despertar meus caros? Conhecer a realidade? Digo-lhes que é infrutífero! Não é fácil perder a própria humanidade. Conseguirão enganar seu próprio DNA? O velho profeta não conhecia os limites da natureza. É tarefa tola tentar enganar a natureza, meus caros. Em vez disso, abram os olhos para o Cosmos. Hoje sabemos o real tamanho do Universo. Nossos telescópios chegaram aonde olho humano nenhum jamais chegará. E apontam para o próximo passo da natureza! Há algo além da humanidade, cuja natureza está adaptada à essência das coisas. O Tempo e o Espaço estão fundidos no além. Vocês querem parar de sofrer, de sentir esse vazio existencial? Não se preocupem, abracem essa condição como inerente à humanidade. Não tentem contorná-la, pois o Próximo Nível há de chegar para tudo e todos. O dia chegará para cada um de nós, quando nos fundiremos com Tempo e Espaço. Lá fora, no espaço sideral, estão coisas que já chegaram lá. Reencarnaremos nessas formas respeitáveis algum dia, formas que não conhecem o sofrimento. Por enquanto, devemos somente respeito a elas. O respeito a formas de vida superiores é o caminho para o karma positivo. Digo-lhes, discípulos! Um cristão poderá reencarnar no céu e tornar-se porventura o próprio Deus que cultua. Mas nós não somos tão mesquinhos e nem ovelhas. Há três milênios recebemos a Palavra, e fui agraciado pelo conhecimento de onde ela nos leva: olhem para o Cosmos, meus caros, e verão Azatoth, a Grande Nuvem Cósmica e Grotesca, aquele que um dia foi como nós, fraco, sensível, em uma busca perene por felicidade, e hoje é o próprio Universo, o que criou tudo aquilo que conhecemos. Aceitem que um dia serão Azatoth, e então poderão sofrer menos.

Bruno Laze

Vive numa torre de vidro, na beira de um lago que muda de aparência todos os dias, sob o hipnotismo de nuvens, neblina e luz solar.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Juliane Medeiros disse:

    Magnífico! <3

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *